30/08/15

Vocábulo cinecalão #3

Uma rúbrica em colaboração com diversos cinéfilos da blogosfera nacional. 
Colaboração? Sim! Eles escrevem, eu ilustro!

A ideia é criar um novo vocabulário para os cinéfilos sedentos de palavreado brejeiro, ou apenas em modo pseudo-crítico. Querem escrever críticas cinéfilas à trolha? Então 'bora lá aprender.
(convidados anteriores: Pedro Cinemaxunga e Hélder Almeida)



A terceira participação é de Carlos Reis, do blog Cinema Notebook.




Filme Striki Night
Um filme inteligentemente seleccionado pelo safado do marido para excitar suficientemente a sua mulher,
normalmente num estado clínico complicado com dores de cabeça regulares ou cansaço extremo e, com isso,
conseguir um pause estratégico aos quarenta e poucos minutos que acaba num acto sexual em pleno sofá, na cama do casal ou, se o striki night movie for
muito bom, em cima da mesa da cozinha ou da máquina de lavar roupa.

Exemplo: 
"50 Shades of Gray", "The Dreamers", "Silver", "Last Tango in Paris", "Disclosure", "Emmanuelle", "Wild Orchid", "Henry & June", "Body Heat", "9 1/2 Weeks" e,

para a minha mulher, qualquer filme que inclua o Gerard Butler em tronco nu.


Grande naião 
Expressão usada entre cinéfilos açorianos para definir o protagonista principal ou herói de uma história que, apesar de todo o seu estilo e ter mais de metade das
raparigas de um filme interessadas nele, mantém-se um verdadeiro gentleman fiel ao seu grande amor.
Exemplo:
"Grande naião que este banana me saiu. A boazona da MILF completamente bêbeda a querer festa em cima da mesa de snooker e ele vira as costas!"



Pseudo-Cinéfilo Ignorante
Título nascido na blogosfera nacional na idade de ouro desta, atribuído a todos aqueles que gostam de tudo um pouco no cinema - as gajas boas, porrada da séria,
os blockbusters de Hollywood (pseudo); uma boa intriga de autor ou descobrir de quando em vez um filme francês ou dinamarquês de décadas distantes (cinéfilo) - mas que,
no fundo, quando inquiridos num café sem Wi-fi pelo nome dos actores d'Os Sete Magníficos não consegue sequer dizer três (ignorante). É comum invejarem os críticos
de cinema profissionais, que correm tudo a bola preta nos jornais.
Exemplo:
"Aquele tipo que ganhou três TCNs este ano é um verdadeiro pseudo-cinéfilo ignorante. Então não é que tem no blogue dele mais filmes da Pamela Anderson do que da Audrey Hepburn?"



Obrigado ao Carlos por aceitar o desafio;)
Agora vai lá mas é organizar os TCN 2015, seu grande pseudo-cinéfilo ignorante, eheheh!

28/08/15

TOP Realizadores Versáteis

Muitas vezes contrastados com a expressão de autores contemporâneos, realizadores reconhecidos no seu meio demonstram o seu "estilo", a sua visão pessoal a um género particular. Mesmo que para isso saltem de género para género.
Cada um dos realizadores apresentados criaram uma consistente obra global com inúmeros clássicos a definirem o cinema tal como o conhecemos hoje.
Cada um deles tem um cunho pessoal através dos filmes, géneros e décadas.

A Versatilidade ao serviço do talento
Ao contrário de, por exemplo, James Cameron. Não se lhe tirando o merecido mérito, esteve muito apegado à Ficção-científica... Ou tal como Cecille B. De Mille com os seus mega-orçamentos-épicos, Wes Craven e John Carpenter no terror, os irmãos Farrelly na comédia (como quase todos os realizadores do género) e John Ford aos seus westerns.
(E sem falar destes palermas...)
Um realizador quer-se polivalentes e prefere-se que o faça bem!
Segue então a lista dos que considero mais versáteis em géneros na sua arte de contar histórias.
Não se pretende enunciar toda uma filmografia, mas os filmes mais significativos de cada género.
Dos géneros enunciados, escolho aqueles que mais contraste têm uns com os outros.
(Eu sei que a animação não é um género, mas uma linguagem.  O facto de ser um estilo totalmente diferente dos outros modos de filmar, coloca-o num patamar acima de qualquer live-action. Deixem-me brincar com estes níveis de dificuldade. E já agora, incluiria os found footage se fosse necessário)




O seu forte: Filmes com grande carácter e desenvolvimento de personagens. Movimenta-se bem em modelos "realistas", tais como cenários criminais, familiares e sociais. Apagou-se nos últimos anos por culpa do dito Sistema.

COMÉDIA DRAMÁTICA
Jack (1996)
COMÉDIA/FANTASIA
Peggy Sue Got Married (1986)
DRAMA/CRIME
The Godfather Trilogy
BIOGRAFIA/DRAMA
Tucker: The Man and His Dream (1988)
DRAMA JUVENIL
The Outsiders (1983)
TERROR
Dracula (1992)
GUERRA
Apocalypse Now (1979)

O que gostaria de o ver fazer: Ficção Científica. O seu mais que morto-e-enterrado projecto megalómano Megalopolis poderia ter sido a chave de ouro na sua carreira.
Quem sabe se ainda um dia...




O seu forte: Começou como actor, tornou-se realizador. Foi inicialmente um "menino da fantasia", onde encontrou o seu caminho. Hoje em dia, faz o que lhe dá na real gana. E é assim que se deve fazer.

THILLER
Backdraft (1991)
Ransom (1996)
The Da Vinci Code (2006)
WESTERN
Far and Away (1992)
The Missing (2003)
COMÉDIA INFANTIL
Dr. Seuss' How the Grinch Stole Christmas (2000)
FANTASIA
Willow (1988)
Splash (1984)
Cocoon (1985)
BIOPIC
A Beautiful Mind (2001)
    ...Político:
Frost/Nixon (2008)
    ... e Desportivo:
Cinderella Man (2005)
Rush (2013)

O que gostaria de o ver fazer: Um épico do tamanhão de Lord of the Rings. A ver se tem mãos para tal façanha. Muito se falou há uns tempos da trilogia The Dark Tower, tendo ficado em fase de espera e finalmente se afastar do cargo de realizador (e projecto que poderá nunca ver a luz do dia)...




O seu forte: Thrillers psicológicos foram sempre o seu ponto marcante da carreira. Durante muitos anos ficou colado a essa imagem. Gradualmente foi-se libertando dessa imagem para construir uma carreira prolífica, encontrando alguns sucessos (e outros fracassos).

TERROR
Carrie (1976)
GANGSTERS/POLICIAL
Scarface (1983)
The Untouchables (1987)
COMÉDIA
Wise Guys (1985)
GUERRA
Casualties of War (1989)
THRILLER
Dressed to Kill (1980)
Blow Out (1981)
Snake Eyes (1998)
ACÇÃO
Mission: Impossible (1996)
FICÇÃO CIENTÍFICA
Mission to Mars (2000)

O que gostaria de o ver fazer: Nem me atreveria dizer "musical", não sabendo muito bem o que nos apresentaria. Mas indo mais na linha que nos tem dado ao longo das décadas, creio estar na altura dele criar o "seu" épico histórico.


O seu forte: Louco e imaginativo, o seu estilo visual distinto permite-lhe mexer em qualquer género, embora se mova bastante bem no campo da Fantasia.

DRAMA
Edward Scissorhands
Big Fish
ANIMAÇÃO
Corpse Bride
Frankenweenie
BIOPIC
Ed Wood
Big Eyes
SUPER-HERÓIS
Batman
Batman Returns
TERROR
Sleepy Hollow
F-C
Planet of the Apes
Mars Attacks!
COMÉDIA
Beetle Juice
Pee-wee's Big Adventure
MUSICAL
Charlie and the Chocolate Factory
Sweeney Todd

O que gostaria de o ver fazer: Um Western à boa maneira americana. Aquelas planícies, índios de um lado e cowboys de outro, goticamente idealizado. Epá...




O seu forte: Mega-budjets de alto calibre. Filmes com forte apelo visual e tendência para questionar a sociedade. Isso dá-lhe um leque de rumos abrangente, onde pode escolher qualquer seja o tema.

TERROR
Alien (1979)
FANTASIA
Legend (1985)
ÉPICO HISTÓRICO
Gladiator (2000)
Kingdom of Heaven (2005)
Exodus (2014)
ACÇÃO
G.I. Jane (1997)
Black Rain (1989)
F-C
Blade Runner (1982)
Prometheus (2012)
GUERRA
Black Hawk Down (2001)
POLICIAL
American Gangster (2007)

O que gostaria de o ver fazer: Voltar à F-C já foi um desejo cumprido, com o seu Prometheus. Talvez experimentar o cinema de animação...?




O seu forte: F-C.  O seu amor por vida alienígena faz parecê-lo um obcecado. Tanto que acaba por misturar géneros como F-C + Drama (E.T.), ou F-C + Filme-Catástrofe (War of the Worlds)

TERROR
Jaws (1975)
COMÉDIA
1941 (1979)
Terminal (2004)
F-C
Close Encounters of the Third Kind (1977)
E.T. the Extra-Terrestrial (1982)
A.I. (2001)
Minority Report (2002)
GUERRA
Saving Private Ryan (1998)
The Color Purple (1985)
War Horse (2011)
HISTÓRICO
Schindler's List (1993)
Amistad (1997)
BIOPIC (histórico)
Lincoln (2012
AVENTURA
Raiders of the Lost Ark (1982)
Jurassic Park (1993)
FANTASIA
Hook (1991)
ANIMAÇÃO
Tintin (2011)

O que gostaria de o ver fazer: Acção. Pura e dura. Talvez experimentar a moda de Super-heróis?




O seu forte: Nenhum. Tem é uma interessante aptidão para utilizar recursos dos efeitos visuais para fins gratificantes em cada um dos seus filmes. Infelizmente como os putos, ele agarrou-se de tal modo ao seu brinquedo preferido (o motion-capture) que não o largou tão cedo...

Devo referir que o Musical estaria a um passo de ser um próximo tema a abordar, com o seu projecto em Motion-capture de YELLOW SUBMARINE, mas como todo os outros, caiu por terra.
F-C
 Back to the Future (1985)
Contact (1997)
TERROR
What Lies Beneath (2000)
DRAMA
Cast Away (2000)
Forrest Gump (1994)
Flight (2012)
COMÉDIA
I Wanna Hold Your Hand (1978)
Used Cars (1980)
Death Becomes Her (1992)
AVENTURA
Romancing the Stone (1984)
FAMILIAR
Who Framed Roger Rabbit (1988)
The Polar Express (2004)
ÉPICO HISTÓRICO
Beowulf (2007)
WESTERN (sort of)
Back to the Future 3 (1990)
BIOPIC
The Walk (2015)

O que gostaria de o ver fazer: Experimentar o tema da guerra. A 2ª Guerra Mundial tem sempre tantas óptimas histórias para contar...




O seu forte: Filmografia curta. Tem em carteira apenas um punhado deles, mas todos eles tão diferentes uns dos outros... Ele não tem um forte em tema, mas sim em perfeição cinemática, independentemente do modo como conta a história...
(O muito falado projecto épico de Napoleão foi uma das produções que estaria a preparar e que nunca chegou a tomar forma.)
PEOPLUM
Spartacus (1960)
COMÉDIA (NEGRA...)
Dr. Strangelove or: How I Learned to Stop Worrying and Love the Bomb (1964)
F-C
2001: A Space Odyssey (1968)
HISTÓRICO
Barry Lyndon (1975)
TERROR
The Shining (1980)
GUERRA
Full Metal Jacket (1987)

O que gostaria de o ver fazer: Comédia! Se Dr Strangelove tivesse sido menos negra, não resultaria. Mas queria vê-lo a fazer algo mais "brejeiro", torná-lo um senhor mais animado :)




O seu forte: Ang Lee é um realizador estranho. Muito estranho. Não se lhe direcciona um género predilecto (ou dominante). O forte dele é mesmo o seu talento.
Lee enjoys exploring the dynamic between traditionalism and progress.

COMÉDIA MUSICAL
Taking Woodstock (2009)
WESTERN
Ride with the Devil (1999)
DRAMA
The Ice Storm (1997)
Brokeback Mountain (2005)
AVENTURA
Life of Pi (2012)
ÉPOCA/HISTÓRICO
Sense and Sensibility (1995)
KUNG FU
Crouching Tiger, Hidden Dragon (2000)
F-C / SUPER-HERÓIS
Hulk (2003)

O que gostaria de o ver fazer: Um filme de terror, para ver se tem estômago para tal.




O seu forte: Tornou-se famoso com os seus musicais. Mas o que dizer do contra-balanço da F-C, com obras-primas de tal calibre? Um camaleão, é o que ele é!

F-C
Star Trek: The Motion Picture (1979)
The Day the Earth Stood Still (1951)
The Andromeda Strain (1971)
MUSICAL
The Sound of Music (1965)
West Side Story (1961)
ÉPICO
Helen of Troy (1956)
TERROR
The Haunting (1963)
The Body Snatcher (1945)
NOIR
Born to Kill (1947)
DESPORTO
The Set-Up (1949)
BIOPIC
Somebody Up There Likes Me (1956)
DRAMA
Three Secrets (1950)
So Big (1953)
COMÉDIA
This Could Be the Night (1957)
WESTERN
Two Flags West (1950)
Tribute to a Bad Man (1956)
GUERRA
Run Silent Run Deep (1958)
The Sand Pebbles (1966)

O que gostaria de o ver fazer: Não lhe faltou fazer muito. A animação por aquela altura não era para realizadores daquele calibre. De facto, era um departamento completamente à parte, não como os dias de hoje, onde qualquer um pode dar um pezinho de dança.
Mas se ainda hoje fosse vivo, poderia bem pegar nisso.





MENÇÃO HONROSA:

Gore Verbinsky (com um futuro ainda mais por explorar)
COMÉDIA Mouse Hunt (1997),
TERROR The Ring (2002),
AVENTURA Pirates of the Caribbean
DRAMA The Weather Man (2004)
WESTERN Lone Ranger (2013)
ANIMAÇÂO Rango (2011)

25/08/15

Copy/Paste

"Nada se cria, nada se perde, tudo se transforma...   LAVOISIER"


Montar T-Rex's
Jurassic World foi (é) o intocável campeão de bilheteiras deste Verão cinematográfico. E como eu ainda pensava que eles iriam fazer das suas, afinal não encontrei no filme esta palermice, que de repente começaram a surgir que nem cogumelos. 


Transformers - Age od Extintion
Como aquela expressão "jumping the shark" ou "nuking the fridge", podíamos incluir o "riding the dinobot". Too much? Sim, eu passei ao lado.


Kung Fury
Felizmente que nem todos são Bay  e mantiveram-se na sátira e na coolness do mundo geek. Obrigado Kickstarter.



Iron Sky: The Coming Race
Idem. Mas com Hitler. Caraças, venha o filme.


Minions
Porque tudo fica melhor com os pequerruchos amarelos. E porque eu me esqueci deles na produção deste copy/paste (andava à procura no Ice Age 3)
Um obrigado ao Pedro Cinemaxunga pelo recado ;)

18/08/15

Remakes dos Avec's

O Pátio das Cantigas continua a sua limpeza no box-office português (para meu desagrado, devido à pobre qualidade da obra) e não auguro nada de bom às próximas duas películas da suposta "trilogia dos novos clássicos".
E penso que em vez de chafurdar no nosso passado cinematográfico, porque não ir importar remakes lá de fora, mais concretamente de França? Porque não? Os americanos já o fazem há décadas!
Ora, segundo a nossa tradição cultural, temos certas afinidades com o país francófono, não fôssemos todos nós europeus... Jogando com os nossos modeklos culturais e hábitos nacionais, há certos filmes que seriam perfeitamente capazes de serem enquadrados na nossa filosofia de vida. Sigamos...
(Quem nunca viu nenhum dos filmes, faça o favor de assistir a cada trailer. Legendado Br, pois claro)



Bem-vindo ao Norte
"Bienvenue chez les Ch'tis" (2008)
Para fazer a vontade à sua mulher Julie, que se encontra bastante deprimida, o administrador dos correios Philippe Abrams (Kad Merad) faz tudo para conseguir transferência para o soalheiro Sul de França. Mas quando Philippe é apanhado a fazer vigarices para conseguir o novo lugar, o castigo não podia ser pior: para pagar as suas asneiras ele terá de trabalhar durante três anos, na estação dos correios de Nord Pas de Calais, uma das regiões mais industriais e frias do País. Depressa, porém, ele vê-se a passar bons momentos com os afáveis e bem-humorados habitantes do Norte, acostumando-se à sua peculiar cozinha e até mesmo a aprender o dialecto local, o incompreensível Ch’ti...

Agora substituam "Sul de França" por "Algarve" e "Nord Pas de Calais" por "Trás-os-Montes" e temos obra prima. Temos o frio, a gente singular e genuína. Mas acima de tudo, a espécie de dialecto. Mirandês, anyone?




Nada a Declarar
"Rien à déclarer" (2010)
Durante a época de abolição das fronteiras europeias, nos anos 90, Ruben, um guarda fronteiriço de uma cidade belga, e Mathias um seu homólogo francês da cidade vizinha, tentam lidar com o triste facto de as suas funções serem suprimidas. Ruben, para além de perfeccionista e excessivamente zeloso, odeia franceses e tudo o que o possa lembrar França. Por seu turno, o colega Mathias (Dany Boon), considerado inimigo desde sempre, vive um romance secreto com a sua irmã.
-
Também temos cá disto, Evaristo! Que tal em Vilar Formoso, com os intragáveis espanhóis para nos meter em confusões? As inspecções fronteiriças em pleno Agosto aos emigrantes portugueses eram de bradar aos céus (e falo por experiência própria eheh)



Que Mal Fiz Eu a Deus? 
"Qu'est-ce qu'on a fait au Bon Dieu?" (2014) 
Claude e Marie Verneuil (Christian Clavier e Chantal Lauby, respectivamente) formam um casal francês tradicional. São católicos e têm quatro filhas: Isabelle, Odile, Ségolène e Laure. O seu maior desejo é que cada uma delas constitua família com alguém que encaixe nos seus parâmetros conservadores. Mas, para sua desilusão, as três mais velhas escolhem para maridos Rachid, um advogado de origem argelina (a família trata-o por "Arafat"); David, um empresário judeu (o "Rabi"); e Chao, um gestor chinês (o "Jackie Chan"). Em nome da harmonia familiar e da felicidade das filhas, Claude e Maria acolhem-nos mas, apesar de todos os seus esforços, não conseguem esconder o desconforto. A sua última esperança é Laure. Quando ela lhes anuncia que vai casar-se e que o noivo é católico, eles respiram de alívio… Mas só até conhecerem o futuro genro, Charles Koffi, que é africano. Enquanto Marie fica cada vez mais deprimida, Claude decide partir para a acção e sabotar o casamento. Nesse processo, vai contar com um cúmplice improvável: o pai de Charles, que também não está nada interessado em ter uma família multicultural...

Trocar argelino e judeu por brasileiro (com uma das milhares de religiões tão comuns lá no país) e ucraniano (ortodoxos também são pedra no sapato). Chineses também os cá temos. Ou se quiserem diferir um pouco, podemos chamar os indianos.
De África importamos os católicos caboverdianos, povo afável e alegre. Sucesso garantido!





Se estes três correrem bem, podem fazer mais um...

La Grande Boucle (2013)
François é um homem apaixonado pelo Tour de France. Após ser demitido pelo patrão e abandonado pela esposa, ele decide encarar o desafio de fazer a "Grande Volta", saindo com um dia de vantagem em relação aos atletas profissionais. A proeza de François vira notícia e os organizadores do Tour ficam enfurecidos. Alguém precisa detê-lo.
-
"Volta a Portugal", pois claro! A subida à Torre, a bela etapa da Senhora da Graça. Tudo material a explorar.



Caramba, até A Gaiola Dourada funcionaria! Revertendo a história para acompanharmos uma família ucraniana em Portugal, entre gente trabalhadora onde no país deles até são doutorados e com estudos...


(As sinopses foram retiradas a meu belprazer - e por preguiça - a sites como cinema.ptgate ou Adorocinema. Ficaram avisados)

17/08/15

Vocábulo cinecalão #2

Uma rúbrica em colaboração com diversos cinéfilos da blogosfera nacional. 
Colaboração? Sim! Eles escrevem, eu ilustro!

A ideia é criar um novo vocabulário para os cinéfilos sedentos de palavreado brejeiro, ou apenas em modo pseudo-crítico. Querem escrever críticas cinéfilas à trolha? Então 'bora lá aprender.
(convidado anterior: Pedro Cinemaxunga)



A segunda participação é de Hélder Almeida, do blog Moviewagon.





Arnoldificados 
Galeria de actores e vilões que são vítimas das one-liners de Arnold Schwarzenegger antes de conhecerem a morte.
Exemplo:
Robert Patrick e o mítico “Hasta La Vista, Baby” em T2;
“Let Off Some Steam” em Commando;
“You’re Fired” em True Lies.



Cannonfilia 
Representa o culto e adoração pela mítica produtora Cannon.
Exemplo: 
Electric Boogaloo é o retrato de Cannonfilia, que tem crescido nos últimos anos.



Bomba Filmíca 
Expressão utilizada para enormes flops.
Exemplo: A Disney tem duas grandes Bombas Filmícas: John Carter e The Lone Ranger.



Buraco Negráfico 
Expressão utiizada para falar sobre carreiras que estão na miséria.
Exemplo: John Cusack está no Buraco Negráfico da sua carreira.



Cinamasoquismo 
Expressão que representa filmes cujo visionamento equivale a uma desagradável sessão de masoquismo.
Exemplo: Remakes pobres e desnecessários; filmes do Adam Sandler.




Obrigado ao Hélder por aceitar o desafio!

03/08/15

Vocábulo cinecalão #1

Inicia-se uma nova rúbrica no blog, desta vez em colaboração com diversos cinéfilos da blogosfera nacional.
Colaboração? Sim! Eles escrevem, eu ilustro!

A ideia é criar um novo vocabulário para os cinéfilos sedentos de palavreado brejeiro, ou apenas em modo pseudo-crítico. Querem escrever críticas cinéfilas à trolha? Então 'bora lá aprender.

O primeiro convidado é o mítico Pedro Cinemaxunga.   Enjoy.



Ficar a fatiar fiambre
 Expressão para quando o cinéfilo vem para o Facebook perguntar “Hey amigos, acham que deva ver este filme?” e entretanto gera-se uma conversa cuja duração excede a do próprio filme. No final o sujeito acaba por não ver o filme e por não ver enriquecida a sua experiência cinematográfica e fica com uma sensação de vazio equivalente à expressão “O que ando eu a fazer com a minha vida?”.

Exemplo de utilização:
“Em vez de ter visto o filme, fiquei a fatiar fiambre até à uma da manhã. A minha ex-namorada tem razão, sou um merdas.” 





Filme Boff 
É um desabafo, dito num respiro que significa indiferença ou leve desprezo. Em contexto cinéfilo é usada para descrever um filme tépido, que não aquece não arrefece, que promete ser bom e depois só nos faz perder tempo que podíamos gastar noutra coisa. É um filme que se esquece rapidamente. Ao contrário de um filme verdadeiramente mau, que se apega ao nosso cérebro como um trauma de infância. Expressão de origem francesa.

Exemplo de utilização:
“Don’t Swing With my Monkey 5 é um filme boff” 




Alienígena Escaganifobético 
 Filme de delirante bizarria sem referências ou clichés que o amarre a um género ou a outro filme conhecido. É lançado no circuito mainstream para tentar criar um novo sub-género de sucesso onde antes havia um nicho. São filmes que, quer se goste quer não, todos se sentem compelidos a ver, como se nos fosse acenada uma luz do Além com promessas de vida eterna. Uma das expressões mais comuns quando se vê um destes filmes é “Quem é que autorizou isto? Ainda gostava de ver a ata da reunião.” Normalmente é um filme que se vê sem piscar uma única vez os olhos e alucinações pós-filme não são incomuns.

Exemplo de Alienígenas Escaganifobéticos:  
Hell Comes to Frogtown (1988), The Adventures of Buckaroo Banzai Across the 8th Dimension (1984), Space Truckers (1996), Tank Girl (1995), John Dies at The End (2012) ou ainda Rubber (2010). 
Nota: Não confundir com Alienígenas Alucinogénicos como Naked Lunch (1991), The Holy Mountain (1973), Gozu (2003) ou Hausu (1977).




Toca Toca Béu Béu 
Termo usado para classificar o tipo de conhecimento de cinéfilos, maioritariamente jovens, que parecem conhecer e compreender vastas cinematografias mas quando se lhes pede uma opinião verdadeiramente pessoal e derivativa gaguejam porque tudo o que sabem veio da Wikipédia. Às vezes nem vêem os filmes todos e fazem batota com sites de resumos e textos de notáveis críticos. Costuma ser malta de faixa etárias abaixo dos 25 anos, vestem roupa de malha e são estudantes de artes. Os exemplares do sexo feminíno são vítimas do rumor de que descuram a sua higiene púbica.

Exemplo de utilização: 
- Epá, aquele miúdo sabe tudo de New Wave Soviético e Neo-Realismo Italiano! 
- Isso é tudo Toca Toca Béu Béu. Eu também tenho Internet em casa. 




Disco Night
Expressão para descrever aquele momento numa sessão de cinema em que um telemovel se farta de tocar e o cinéfilo, quando finalmente lhe pega, em vez de desligar fica a olhar para o ecrã de cara iluminada a decidir se atende ou não. Normalmente é música de Bob Sinclair. “Música”... Nota: Não se refere ao acto de atender, apenas de receber a chamada e ficar pasmo.

Exemplo de utilização:
- O filme foi bom? 
- Epá, nem te passa. Apanhei pelo menos três Disco Nights. Ainda por cima em partes importantes.

01/08/15

Os "Movie Quotes with-a-gun" voltaram para prestar tributo a Roddy Piper.

Era uma das diversas surpresas que estava a guardar para o livro "Posters Alternativos Vol. 2" que está em preparação, mas a triste notícia desta noite fez-me desviar este cartaz de They Live para o mural da página Posters Caseiros.
E assim, aqui fica o meu tributo. 

RIP Roddy.
 


Os "Movie Quotes with-a-gun" voltarão no livro, como podem aqui deduzir. Ainda dois deles que já foram publicados (há uns anos, para uma rúbrica de uma colega destas andanças), mas outros três Movie Quotes totalmente inéditos.

Spider-dude

"Peter Parker will be going back to high school in the new Spider-Man movie due to 2017"

Como eu não tenho tempo nem para me coçar, alguém me ajuda e faz uma montagem vídeo do trailer de Billy Madison, com Tobey Maguire no papel de Adam Sandler?

30/07/15

Ó Evaristo, mas o que é isto

"Façamos figas para que não haja aí alguém que se lembre de actualizar o “Aniki Bóbó” de Manuel de Oliveira, transformando as crianças em filhos de “junkies” e de traficantes de um bairro chunga do Porto que vivem do Rendimento de Inserção Social, e assaltam velhinhos, roubam carros e snifam cola. É que já estivemos mais longe."
 (fonte)

Ri-me mais do que devia.

Trailer de 13 Hours: The Secret Soldiers of Benghazi

Mais uma obra a apelar ao orgulho americano. Já tivemos Lone Survivor e foi filme de limpar as escadas. Mas no fim do trailer vejo duas frase que não posso deixar passar impune:

"Directed by Michael Bay".
É ele a brincar aos heróis. Patriotismos não faltam nas Américas, ó cowboy. Diverte-te a querer ser um realizador sério.

"This is a true story".
Como aquela do American Sniper? Seu ratos...

29/07/15

Claxon

Tivéssemos nós portugueses uma indústria cinematográfica americanizada (diga-se, cash-grabber), já teríamos uma adaptação para o grande ecrã desta série TV Claxon.

E antes disso, já teria estreado em salas Duarte & Cia, Major Alvega, Zé Gato...
Querem mais? Nas comédias: Nós os Ricos, Fura Vidas, Paraíso Filmes...

E pirei.


Pátio das balelas

Mesmo sabendo o que me esperava, fiquei para o visionamento do Pátio das Cantigas. O filme não só é mau como previa, como tem o dom de ser duas horas de um pré-episódio qualquer, quando acontece o "Previously on The Courtyard of the Ballads...". As cenas ligam-se com tal descoordenação que nunca entendi bem porque lá estavam. Mas não é o que acontece com quase todas a comédias portuguesas da actualidade?

(Ah e antes do filme, foi desvendado pela primeira vez o trailer de Leão da Estrela. Parece que foi "vira o disco e toca o mesmo". Mesmos actores, mesma linguagem cinematográfica, mesmo mau gosto em piadas)

28/07/15

No Dick cameo, please

Ainda há poucos meses andávamos a estremecer com as comparações entre poses nacionais de Cid, Nogueira e Quaresma, mas Stan "the Man" Lee já gritava Excelsior! há muito mais tempo!


#MCUmtfkr

Nunca é demais avisar a Marvelite da zona, que é má ideia dar um curso ultra-intensivo de MCU a um espectador fora desse Universo. E tentar converter essa mesma pessoa para este mundo de charadas e eventos paralelos também dá mau resultado.
(E não, não fui eu. Eu já aprendi essa lição há algum tempo)

BTW, Ant-Man é obra. Não fico a clamar por uma versão de Edgar Whright. Nem um bocadinho.


27/07/15

Querem ganhar um poster de oferta, à borla, aqui do Posters Caseiros?

Ora, não será para já. Primeiro a malta vai toda de férias, descansar do Facebook e aguçar o apetite por um cartaz grátis.

Daqui a umas semanas volto a espicaçar e preparem-se para concorrer.
Infelizmente não será de tamanho A2. Mas um A3 é bem maneirinho e fica bem em qualquer lado.
Até lá, partilhem a página para, quem sabe, treinar para ganhar. Ou se for o vosso caso, lamberem-me as botas um poucochinho, eheh.


25/07/15

Ah Lampião!


Leonel Vieira diz que da trilogia dos remakes de clássicos portugueses, virão "A Canção de Lisboa" e "O Leão da Estrela".
Amigo, não faças isso. Pelo menos o deste último, quando já o fizeram com o nome de Lampião da Estrela.
(e sim, adoro este filme com Hermano José. E sim, sei que foi em formato telefilme. Não invalida o meu argumento quando ele foi produzido com excelentes meios).


24/07/15

Vem aí Kung Pow 2!

Quando vi "Kung Pow" lá pelos anos de 2003, sempre me perguntei se sempre iriam fazer a sequela prometida nos créditos finais ou se iria parar no mesmo lote de "History of the World Part 1".
Quase 13 anos depois, a esperança renasce mais um bocadinho...


22/07/15

A eterna dupla

Tanto que eu queria o regresso desta dupla nos cinemas, um último filme para sossegar o coração.
E já rejubilava com um cameo num Expendables...


16/07/15

Street level

Leiam primeiro a notícia.



Apostando desde já o rumo que Marvel's Spider-Man vai tomar em 2017: Street level.
Com Punisher e Daredevil provavelmente a aparecer no filme, juntem-lhe um dos seus arqui-inimigos do costume, Kingpin.

Ou então arrange-se um novo e inédito vilão: Chamaleon. É o primeiro vilão dos comics do herói e nada dele no cinema. Por isso o palpite é decente.
(Oh wait, agora que penso nisso, creio preferir The Shocker para vilão. Vá lá, qualquer um deles serve. Desde que não tragam o Green Goblin de novo ou me falem em Venom's e spin-of's...)


14/07/15

Entrevista a Miguel Gomes:

"Desde os primórdios do cinema que os produtores querem poupar no dinheiro e os realizadores querem gastá-lo... É também um conflito de classes, onde eu me incluo."

Cheira-me que ele vai votar PS em Setembro.


Manchete de amanhã: "World, soon you will be mine"

A exposição "Posters Caseiros" no Correio da Manhã? UAU!!
Epá, eu agora perdoo-lhes as manchetes todas. As sangrentas e tudo!

E se descobrir o anjinho que me colocou ali, até lhe dou um beijinho na testa.
(Obrigado ao Fernando Almeida pelo alerta)


13/07/15

Meta Volante

Dizem-me uns zunzuns de que a SIC também passará a 16/9 em Setembro. Finalmente.
Mas não lancem muitos foguetes, pois por enquanto a 16/9 SD. O HD ainda tarda...

12/07/15

Yipy Kay-yey!

Eu andava a pensar fazer uma caixa DVD toda catita aproveitando o Nakatomi Plaza, mas esta Box oficial deixa-me de água na boca e pura e simplesmente... comprar!


05/07/15

Star Trek: Planet of the Titans (Cancelled movie)

Philip Kaufman was hoping to write and direct a Star Trek film in 1976, several years before Star Trek: the Motion Picture was released. While ST:TMP was not exactly Star Wars, Kaufman’s ideas were a bit too non-Treky. In the script for Star Trek: Planet of the Titans, Kirk and his reunited Enterprise crew must go 1,000 years back in time to find the legendary Titans, but once there, the crew discover that they, themselves, are the basis for the Titan myths. Kirk somehow gets trapped in the past and lives alone for decades as a sort of Robinson Crusoe in space. Spock and the others return to the 23rd Century and must deal with a ‘Samurai-like’ Klingon, played by legendary Japanese actor Toshiro Mifune (Rashamon, the Seven Samurai, Yojimbo, Throne of Blood). Kaufman described his interpretation of Star Trek this way… “My idea was to make it less "cult-ish", and more of an adult movie, dealing with sexuality and wonders rather than oddness”. He even had a scene with Spock and Mifune’s Klingon character “Tripping out in space”. It was all very ‘out-there’. Kaufman himself knew that he was going to push some buttons. He said, “I'm sure the fans would have been upset, but I felt it could really open up a new type of science fiction.” Both the studio and Trek creator Gene Roddenberry agreed that fans would be upset. Also, William Shatner didn’t like the script because it focused mostly on Spock as the main character, leaving Kirk stuck in the distant past.

Agradeçam por isto não existir.

04/07/15

10 ANOS Brain-Mixer

Na semana passada o meu blog fez 10 anos.
Ninguém deu por isso, não porque não querem saber de mim, mas porque eu também não tive disponibilidade para fazer festa grossa. Nem vontade.
Por entre mudanças de casa, semana sem net no PC, conflitos de agenda, etc, a data passou para segundo plano.

Mas hoje venho então desvendar o que queria preparar para esta data:
Nada.
A não ser promessas!
As informações que se seguem são em linhas gerais aquilo que pretendo lançar até ao fim do ano.
Ora, comecemos pelo óbvio.

O artigo que queria lançar no dia 26 de Junho para celebrar uma década, seria o recuperar de um dos primeiros artigos do Brain-Mixer: O "Top brain-mixer movies" (que na altura seriam 10 e que podem ver aqui…). Seria uma actualização desta lista e extendê-la para incluir filmes mais recentes.

Posters Caseiros nunca poderão faltar.
Para além da rúbrica obrigatória mensal, deverão haver outros bónus para alimentar a página.
E claro, o prometido Volume 2 do livro que compila todas as obras mais recentes.
Ainda estou a pensar se deverei seguir o modelo de crowdfunding para facilitar as encomendas... Mais informações surgirão até lá.

Arrancará também uma iniciativa com diversos bloggers onde vamos poder brincar com um vocabulário mais calão (ou apenas de vão de escada). Agosto é o mês de arranque para a rúbrica.

E algo que muitos esqueceriam de que isto existia (ou não), A "Brain-Collection", que alimentava a inveja dos cinéfilos ao escarrapachar sem vergonha as edições caseiras e exclusivas de DVD box criadas por mim.
Ou seja, a Série 3 vem aí!

Para finalizar, hoje acabei por confirmar a minha presença na Comic Con Portugal 2015, evento onde escandalosamente faltei no ano passado por dificuldades de logística. Cosplay está a ser devidamente ponderado, mas nada está escrito em pedra.
Bons filmes e cuidem-se, amigos!


02/07/15

Poster Caseiro: Terminator 2 - Judjment Day

Já foram ver o Terminator Genisys?
Ora bem, relembremos o melhor filme da série, e quiçá, um dos melhores filmes de sempre!

TERMINATOR 2: JUDGMENT DAY (1991)
A verdade é que durante meses, este poster estava intitulado como The Terminator (1984). Mas as duas formas icónicas, a explosão nuclear e o 'endoskeleton arm' eram mais representativas da sequela. E o meu coração tomba mais para o filme de 91...
Quem sabe um dia eu venha a fazer a prequela deste poster caseiro e atirar-me ao clássico do Tech Noir.






5€ tamanhos A3
10€ tamanhos A2
Impressão fotográfica


Também visível nas páginas do Facebook e Deviantart.

01/07/15

Terminator: Now

Vi pela primeira vez The Terminator no cinema. Pudera, tinha 3 anos quando estreou...

[Outro objectivo de vida alcançado], mas o que é certo é que quando voltei ao carro, tinha um pneu em baixo. Passei a meia hora seguinte a mexer em hardware industrial. A culpa é da Skynet, só pode...