18/11/08

007 atrás do sucesso da moda

Quando o sucesso de um filme influencia os filmes de James Bond, algo acaba sempre por mudar para o mais famoso agente do cinema.

Moonraker (1979) - Star Wars (1977)
Após o surpreendente sucesso de THE SPY WHO LOVED ME, o produtor Albert R. Broccoli tratou logo de desenvolver a próxima aventura. Originalmente, o filme seguinte seria o FOR YOUR EYES ONLY (seguindo a colecção de livros), mas com o enorme sucesso de STAR WARS mudaria radicalmente a indústria cinematográfica. Foi numa altura em que todos queriam fazer filmes de Ficção-científica no espaço para rentabilizar a moda e a popularidade do género. Assim, encaminhando James Bond para esse caminho, trataram rapidamente de escrever uma aventura para colocar o agente secreto nesse cenário.
Era um James Bond no espaço.
Nada mais fácil que isso. A saga tinha assim o seu próprio épico F-C...



Licence to Kill (1989) - RamboII/Lethal Weapon/Die Hard(1985-1987-1988)
Nos anos oitenta, o mercado americano estava louco por filmes de acção, com tons violentamente explosivos. Quando THE LIVING DAYLIGHTS estreou no verão de 1987, a sua recepção foi fraca. Era numa altura em que filmes como PREDATOR e LETHAL WEAPON estavam na berra. Já antes RAMBO II rebentava com o box-office, mostrando que a "acção destroy" era a fórmula certa. Die Hard estrearia entretanto e confirmava a tendência. Obviamente, a fórmula Bond precisava de ser agitada. Sendo que os produtores queriam rentabilizar esta nova vaga de acção hardcore, o próximo 007 seria o mais violento e duro filme de toda a saga até então.



Casino Royale (2006) - Bourne Supremacy (2004)
Quando o quarto filme de Pierce Brosnan como 007 estreou, alguns exageros notaram-se a olho nu. Com muitas vozes críticas a apontar o excesso exuberante dos gadjets (como um inapropriado carro invisível) e sequências de coçar a cabeça (e um horrível CGI na cena do skysurf numa onda gigante), o filme não caiu bem entre os fãs mais exigentes do personagem.
Apesar de Die Another Day ter sido um dos mais rentáveis da saga, os produtores sabiam muito bem que apesar do sucesso comercial, a figura estaria a desgastar-se entre a crítica. Quando o primeiro Bourne estreou, algo viria mudar entre os agentes secretos. Na TV, Jack Bauer estava a dar nas vistas com o seu (...) e James Bond continuava com os seus gadjets e martinis... Foi o testemunho do segundo Bourne (e o seu surpreendente sucesso) que deu asas ao Bond que hoje vemos em salas. Os Broccoli decidiram ir na onda dos agentes agressivos e tácticos, lançando um reboot de 007: Casino Royale. O terceiro Bourne apenas veio confirmar a rentabilidade deste tipo de personagens.

5 comentários:

Fifeco disse...

Quantom of Solace é uma clara imitação da trilogia Bourne. Casino Royale jjá tinha sido como referes mas a verdade é que QOS é descaradamente uma imitação. A verdade é que resulta mas podia ser um pouco mais criativo. Quanto aos restantes exemplos, creio que foram infinitamente piores, pelo menos tendo em conta os resultados práticos.

Abraço

Peter Gunn disse...

Concordo plenamente com o que dizes Brain, assim como o que diz o Fifeco :)

É por demais notoria a influencia "externa" de outros filmes no desenrolar da saga do 007, sendo que no caso da aventura do espaço ser uma coisa sem pés nem cabeça mas com muitos arames à mixtura (que viu a primeira edição em dvd do filme sabe o que estou a falar, é hilariante pois quase parece que estamos a ver o Team America).
Acho que uma das razões de todos os sucessos da saga 007 é mesmo essa capacidade de ir pondo nos filmes o que está na moda na altura... vamos ver onde é que isto vai parar ;)

Um abraço

brain-mixer disse...

Fifeco, eu pessoalmente até gostei muito do Licence to Kill. Era um filme que se desviava do tradicional (muita violência e o "renegado" à procura de vingança"). Um pouco o mesmo que o Quantum of Solace fez desta vez... Violência, acção e vingança. Parece o mesmo filme, mas não é. Ainda que seja uma sequela do Casino Royale, creio que vão desenrolar a saga novamente pela acção e Bond-girls. E com mais um ou dois filmes, voltará o Q. É o destino.

Peter, ainda estou para esperar um herói 007 com superpoderes mutantes ou coisa do género, eheheh!
Com a onda dos Conics, já acreditava que poderia sair um Bond mascarado! :P

Abraço aos dois

close-up disse...

este bon é tramado...nao pode ver nada :P ehe

como sempre, imperialmente bem apanhado brain :)

brain-mixer disse...

É com estes "olhos" que Bond consegue manter-se à tona do sucesso... Para o bem e para o mal :P
Cumps Close-up!