17/03/10

E os Óscares, afinal de contas...

Talvez tarde, mas nem por isso desactualizado, fiquei feliz pela vitória de The Hurt Locker. Tanto xunguei contra o Avatar que me dei conta a torcer por um filme que não gostava ASSIM TANTO...

Passadas duas semanas após a entrega das estatuetas, recordo-me de algumas cerimónias em que lá vencia o cinema culto-clássico ao invés do populismo generalizado.
Remontemos ao ano de 1981, com Chariots of Fire (Momentos de Glória) tornava-e a estrela da noite. O Indiana Jones saía de lá com "prémios técnicos". E 1982, onde o Ghandi colocava de lado o mega-êxito E.T. de Spielberg. Ou a 1998, com Shakespeare in Love a roubar o título de Melhor Filme a Saving Private Ryan...

Preferências por Spielberg à parte, dá-se conta de que estes vencedores afinal de contas acabaram no puro esquecimento cinéfilo décadas depois... Espera-se um cenário idêntico para os filmes da última cerimónia?

(Ah e nessa noite passada o meu coração, na verdade batia pela PIXAR)

4 comentários:

ArmPauloFerreira disse...

Os filmes premiados são muitas das vezes aqueles que depois votamos ao esquecimento e aqueles que continuam vivos, têm saido de lá injustiçados.
É a prova que esta cerimónia não premeia o que o povo... acabará por premiar (até comercialmente - veja-se os casos de Star Wars, Indy Jones, os que citou e muitos mais, onde se juntará o Avatar).

Jackie Brown disse...

Concordo totalmente, a Academia acaba por provocar o efeito contrário, criando até um sentimento de antipatia para com os vencedores (recorde-se Crash ou até mesmo o The Departed, que devia ter perdido para um muito superior Babel)

A única diferença é que au acho que o filme que prevalecerá na história, pela sua qualidade, será claramente Sacanas Sem Lei.

Edgar, toca a mixar isto com mais frequência!
Abraço

brain-mixer disse...

É curioso reparar que todos estes filmes ditos populares arrecadam geralmente os prémios técnicos (mesmo assim chegam a levar 3, 4 ou mesmo 5 óscares para casa!). Som, cinematografia ou efeitos visuais, parecem ser a outra face de um reconhecimento envergonhado, não?

Arm Paulo ferreira e JB, um obrigado por discutirem isto comigo ;)

(Ah e o Inglourious Basterds repetirá a façanha de Pulp Fiction? 16 anos depois, essa obra de Tarantino é o que se costuma dizer de "modernista": Revolucionou o modo de contar uma narrativa. Basterds estará a revolucionar o modo de como terminar uma história sobre factos verídicos?)

Nasp disse...

E há duvidas disso ?

Essa do Momentos de Glória não faz parte das minhas recordações, mas de todas as outras que citaste sim.

Troco essa pela ano de 1978 quando Star Wars perde para um filme de Woody Allen.

Este ano o Avatar foi o grande derrotado, mesmo nos capitulos tecnicos epá foi derrota....

O que contradiz um pouco com os ultimos anos da Academia que premiava o filme mais popular do publico.

Pode ser que pro ano as audiencias televisivas do festival voltem a cair, já que este ano elas estavam já garantidas pelo Avatar quer ele ganhasse ou perdesse.

Essa é a verdade.