08/12/10

Memórias de Infância - II



Numa altura em que não morava com uma papelaria logo ao lado e tinha de percorrer um quilómetro e tal para comprar alguma revista, a TvGuia era o mais próximo que eu tinha das informações de cinema (sim, riam-se hoje...). A minha parte preferida eram as páginas centrais, com duas videocapas de filmes em destaque nessa semana. Na maior parte das vezes com uma estreia, logo obviamente, um filme para eu gravar... Por vezes a revista dava um especial videocapas (no final do ano ou no verão) com múltiplas capas de filmes que estrearam desde então. O mais xunga é que essas capas ficavam frente e costas umas nas outras, desde já inviabilizando a utilização de uma delas.


Depois descobri a Tv7Dias. Mas a Tv7Dias daquela altura não tinha NADA A VER com a que actualmente se compra nas lojas (esta e todas as outras). Hoje as revistas ditas "de televisão" são basicamente uma Nova Gente ou uma Caras com programação TV. Mas naquela altura, há já 15 anos, o cinema preenchia bastante daquelas páginas, com estreias, notícias e informação sobre bastidores. E as capas, as videocapas da Tv7Dias eram um must! Sim, porque deixei logo de comprar a TvGuia, que tinha umas capas foleiras, com uma foto em tamanho grande a fazer de parte da frente e uma cor básica-padrão que deixavam muito a desejar na videoteca. As da então concorrente eram texturadas, com degradés e imagens retiradas dos posters orginais! Que delícia era ter umas lado a lado e comparar. Era então lógico que na prateleira os logotipos da Tv7Dias surgiam nas lombadas das cassetes em maior número que as da TvGuia.



Exemplo típico de videocapas da TvGuia e Tv Mais: Reparem no pormenor para recortar e colar na lombada da própria cassete!


Entre uma e outra, a minha decisão era sempre difícil. Nas papelarias, os meus dedos desviavam-se sempre para as páginas centrais, comparando o que cada uma delas tinha, para assim decidir qual compraria nessa semana. Por vezes lá levava as duas para casa.
Alguns anos depois apareceram umas "esquisitas", também com videocapas, que me levavam a comprá-las. Recordo-me agora da NOVA, com capas medianas mas com filmes diferentes das que tinham nas outras (naquela altura que eu gravava tudo o que dava na TV).

Mas havia características especiais que as diferenciavam: As listas de filmes que iriam surgir nos próximos tempos. A Tv7Dias publicava na revista da primeira semana de cada mês uma lista infindável de todos os filmes que iriam estrear nesse mês. Façam uma pausa comigo e repitamos em voz alta: "Havia uma lista com TODOS os filmes do mês"! Era numa altura que nos era garantida a estreia dos filmes programados. Incrível, como passado mais de uma década só se veja nas programações "Filme a designar" para o dia seguinte (e mesmo no próprio dia)... As televisões foram para um buraco sem fim. Enfim, recapitulando, essa famosa lista incluía os filmes de todos os dias dos quatro canais. Era a solução ideal para poder esquematizar mensalmente os filmes a gravar. Assinalava na revista com uma caneta os filmes que queria e guardava aquelas páginas até ao fim do mês. Era uma alegria quando nessa quase-lista-telefónica encontrávamos filmes que pulávamos de contentes por estrearem na TV, ou penosamente contar as repetições que iriam passar num determinado período (como o Natal ou a Páscoa e os seus E.T.'s, Ben-Hur's e Sozinho em Casa).

Emoção semelhante era quando a TvGuia tinha o hábito de anunciar as "compras" das televisões para a rentrée televisiva, com estreias absolutas até ao Ano Novo. Eu ficava de queixo caído quando via em letras gordas aquele filme que todos falavam ir passar no Canal 1...

Juntamente com todas estas cassetes pacientemente acumuladas e organizadas que lá tenho em casa, hoje ainda lá mantenho escondidas num recanto duas pastas arquivadoras com videocapas que ia recolhendo de todas as revistas da altura. Perdi a conta pelas 700 e depois perdeu a piada. Hoje com o ficheiro digital, aquilo é mero "lixo", papeluchos sem interesse. Mas nem por isso me leva a deitar aquilo fora.



(Continua...)
Não percam as minhas criações artísticas e à la MacGyver para criar videocapas, no próximo "Memórias de Infância III"

6 comentários:

Roberto Simões disse...

Memórias partilhadas, sem dúvida. Já nem me lembrava dessas capas mas também tive algumas e seguia com particular atenção essas publicações que a minha mãe comprava. De facto, nessa altura, as televisões passavam aquilo que anunciavam. Bons tempos.

Cumps.
Roberto Simões
» CINEROAD - A Estrada do Cinema «

joemorales disse...

E a Música no Coração, Regresso ao Futuro, mas só a parte 1, e claro, os Gremlins:-) Juntando aos teus exemplos temos os filmes mais repetidos na altura.

Boas memórias, sem dúvida. Também tinha uma colecção gigante. Penso que naquela altura dávamos mais valor ao formato físico do filme. Agora apaga-se assim que é visualizado para ter espaço livre para mais uns quantos que estão a caminho.

Na altura ficava chateado qdo não arranjava filmes mais curtos para caberem 2 por VHS.

brain-mixer disse...

Roberto, deixa-me ainda dizer que eu naquela altura não era miúdo de videoclubes, logo não tinha acesso a filmes mais recentes... Só quando passavam nas generalistas é que lá via (e gravava) as estreias. Cansativo, mas nostálgico :D

Joemorales, "agora apaga-se assim que é visualizado", comigo também é assim com os divx, mas logo que possa gravo em DVDr cada um desses filmes, meses mais tarde. O círculo vicioso do formato físico é interminável :P

Cumprimentos

Peter Gunn disse...

As belas das capas para o VHS!!! Ainda este fim de semana tive a olhar para alguns VHS que tinha numa prateleira em casa da minha mãe e lembrei-me logo do teu post das memórias!
E agora esta semana vens com esta bela lembrança das capas da Tv Guia =)

Continua que estás a ir bem :P

Quanto ao formato fisico, basta dizer que mesmo com a proliferação geral do mp3 que actualmente já existe, eu ainda gravo cds como antigamente...

Um abraço

CINE31 disse...

Estou a adorar estas "Memórias de Infância"! Venham mais!! Já não apanhei a febre do VHS no auge, mas ainda me identifico com muitas destas recordações :-D

brain-mixer disse...

Peter, vais ver que daqui a uns 20 anos o VHS se vai tornar um pouco como o Vinil é hoje em dia, retro mas estiloso :P

Cine31, estamos a viver outra era. Daqui a 20 anos, como já disse ao Peter, não só recuperamos o VHS como recordamos com nostalgia aquela tradição de gravarmos um filme em DVD ou sacar da net em formatos estranhos e complexos... O futuro será assim tão estranho? ;)

Abraço a ambos, não percam a continuação, faltam mais dois!