11/07/11

A Fox renasce das cinzas?

A 20th Century Fox, casa de alguns dos maiores sucessos do cinema e marcos importantíssimos da mesma arte, como Star Wars, Alien, Die Hard andava nas ruas da amargura. Não em termos de receitas obtidas (que isso não/nunca foi problema), mas porque andava nas más-línguas como uma empresa que geria mal os seus trunfos.


Há pouco tempo para cá, isso tem vindo a mudar um pouco. Tem reconstruindo o carisma de outros tempos.
Porque até 2009, a FOX era sinónima de mata-franchises, de incompetência administrativa, de péssimas escolhas e decisões.
Quando anunciavam a pré-produção de qualquer filme adaptado de material já existente (BD, série TV, videojogos, etc), ao ouvir "FOX", vinha logo tudo com o credo na boca...
Os maiores exemplos disso são Alien VS Predator, Fantastic Four, Garfield, Alvin & the Chipmuncks e o muito odiado Dragon Ball Evolution. Decisões apressadas e impulsivas dariam em maus filmes. Mesmo maus. Alguns projectos com algum potencial eram trucidados nas mãos dos Senhores da gravata, como aconteceu com X-Men Origins Wolverine.
Mesmo os remakes criavam becos sem saída. The day the earth stopped é um bom exemplo disso.
Eles até deram cabo da saga Star Wars com as prequelas!
Meus senhores...


Avatar parece ter mudado um pouco isso.
Em alguns dos projectos-chave da empresa parece haver um pouco mais de preocupação em fazer direito, levar aos cinemas como deve ser e sair de lá com a reputação bem sólida.
Das "correcções" já feitas, algumas das franchises de sucesso resultaram, muito bem, com o enfoque pretendido: Predators e X-men First Class caíram bem no goto da crítica.

Proximamente, estrearão outras recuperações do baú da Fox: Prometheus promete ser um género de prequela a Alien, tentando eliminar aquilo que fizeram com o crossover com o Predador. Com Ridley Scott na realização, um elenco fortíssimo e uns rumores de atiçar os fãs, prometem-nos um filme de regalo.
Mas não esquecer o filme mais próximo de estrear, Rise of the Planet of the Apes. Um reboot à saga que a Fox também possui, distanciando-se do erro de Tim Burton. Segundo o trailer e algumas opiniões antecipadas, o filme bem pode ser uma das surpresas do ano.
Fox, ergue-te e renasce das cinzas. Esperemos por melhores filmes...

2 comentários:

Andreia Mandim disse...

Também já tinha pensado nesta questão, mas tenho de discordar de uma coisa, o caso do Avatar não me parece ser melhor que os enunciados, acho que foi um filme 'mal temperado' e com isto quero dizer, que podia ter saído bem melhor se trabalhassem o argumento. Argumento esse que não passou de uma cópia do pokahontas...E ficou-se muito pela imagem e fabuloso efeito 3D que lá funcionou na perfeição.
Depois de ver muitas vezes o trailer do reboot que se aproxima, ainda não estou certa do sucesso...dá alguma vontade de ver, uma certa curiosidade, mas irritou-me a banda sonora a la Inception...que este ano parece muito comum em todos os filmes que envolvam catástrofes.

cumprimentos,
http://cinemaschallenge.blogspot.com/

brain-mixer disse...

Andreia, eu tambem torço o nariz ao Avatar, eu nao sou dos muitos fanaticos do filme. Mas usei o exemplo no modo como a Fox preparou o projecto: Grande nome envolvido, nada mais que James Cameron. Grande orçamento bem utilizado (n este caso, em efeitos visuais). E la resultou num tiro certeiro para a Fox. Mas torço o nariz as sequelas que vir~ao...