10/12/07

Gato Fedorento - O filme

"Filmes Portugueses JAMAIS realizados"

Aqui visada a ausência para valorizar projectos ambiciosos no cinema português. Uma análise de como poderia ser apoiado tanto pela visão espectacularmente exagerada do realizador, como na nossa realidade acaba por ser cepticamente avaliada como improduzível em géneros nunca explorados no nosso cinema. Apoiando-se bastante em géneros históricos, épicos e grandes orçamentos, filmes nunca feitos, nunca produzidos e até talvez mesmo delírios que nunca ninguém se atreveu levar avante... Transformando o nosso "cinema" numa espécie de blockbuster tuga, produto comercial e de entertenimento.


Storyline
Os quatro "gatos" envolvem-se num imbróglio surreal após um discurso proferido por um deles em directo na televisão ser mal entendido por uma figura poderosa do sistema português. Isso vai levar a que o grupo se una para lutar contra uma conspiração mal intencionada disposta a denegrir o bom nome do quarteto.

Orçamento
500 mil euros.
O HDV (digital de alta definição) foi a grande ajuda para que a produção ficasse em números reduzidos e muito aceitáveis para os produtores. Inúmeras empresas aderiram ao projecto através de patrocínios, esses que pagaram na totalidade o custo de produção, garantindo que qualquer espectador que visse o filme seria lucro garantido. Para além do que adveio do cinema, os euros dos DVD's e direitos televisivos foram parar directamente aos bolsos dos produtores.

Recepção do Público (Boxoffice)
A comédia voltou a levar espectadores ao cinema: O contador parou nos 260 mil espectadores. Um dos géneros mais explorados no nosso cinema, aliado à "quadrilha" mais popular da TV portuguesa fez estragos na tabela dos mais vistos do ano. A boa promoção do filme pelos diversos meios de comunicação e as cenas de antologia hilariantes que ficaram na memória do público fez com que o filme se tornasse imediatamente num fenómeno instantâneo.

Recepção da crítica
Obviamente as denúncias de um humor acusado de "pacotilha" e de "usar e deitar fora" vieram ao de cima entre os críticos mais mal humorados. O problema do filme ser mais um conjunto de sketches, deixando de lado as posições emotivas e a sensibilidade dos personagens, foi a razão para que fosse atribuída bola preta ou uma estrela em quase todas as críticas de imprensa.

Momento do filme
O jantar de recepção ao convidado Jet7 é hilariante. Cinco indivíduos à mesa com piadas e actos excêntricos metralhados durante dez minutos. O ponto alto é quando Ricardo Araújo Pereira acaba por mostrar os pêlos das costas durante a sobremesa.

1 comentário:

Knoxville disse...

Imparável Edgar, imparável ;)