09/10/08

Mapa-Mundo do cinema

Como anda a produção cinematográfica mundial (Estatísticas de 2006)

Não pensem que num mundo de cinema global são os Estados Unidos a força dominante... De acordo com estudos feitos (e aproveitados para um anúncio da Volkswagen), os dados apresentados nestes cartogramas são surpreendentes.

Estes mapas cartográficos distorcem o tamanho dos países em relação a três categorias:
Orçamento médio por filme
Produção de filmes per capita
Número total de filmes produzidos

(Cliquem na imagem para ampliar)


1:
No primeiro grupo, um país salta logo à vista: A Nova Zelândia rebenta com a escala. E porquê? Não se lhe encontra grande produção local, que ronda os seis filmes por ano, todos eles de baixo orçamento. A não ser que... Claro... Grandes produções oriundas dos Norte-americanos que ali produzem. Começou a expandir-se a partir da trilogia do Senhor dos Anéis (desde 1999 a 2000) e desde então um grande número de blockbusters de Hollywood se instalaram naquelas ilhas. Crónicas de Narnia e King Kong foram também ali filmados. Este mapa não supõe reflectir a filmografia Neo-zelandesa, apesar das outras mega-produções aproveitarem a indústria local para se servirem deles.

O tamanho dos EUA é menos que impressionante. Os blockbusters não têm assim tanto efeito na média do país. Pelo outro lado, esses grandes investimentos deixam na sombra o facto que eles produzem muitos mais filmes de dimensões reduzidas, mais pequenos, logo mais 'baratos'.

2:
No segundo mapa, outra pequena ilha sobressai do mapa: A Islândia pode ser esquecida pelo resto do mundo, mas não o é pelo seu governo. Com uma população de 330 mil habitantes, é o Estado a subsidiar toda a produção nacional. Daí a poderem investir melhor nos poucos filmes que fazem.

Outro caso à parte é Hong Kong. Aparece com aquela forma desconhecida, numa irregular mancha vermelha. Domina a Ásia, onde até uma Índia minimal se perde pelo meio.

3:
Finalmente os EUA garantem um espaço adequado à sua (errada) imagem, dominando todo o continente americano. A competição vem da Europa, forte e em grande número. França, Espanha e Reino Unido confirmam a sua boa saúde cinematográfica. É também o único mapa que mostra um Japão "larger than life", em comparação com os seus míseros anteriores dois mapas.

A surpresa, imensa surpresa, vem do continente africano (até aqui apagado dos anteriores mapas) com a Nigéria a mostrar que tem uma grande máquina por detrás do seu país. Está já reconhecida pela imprensa mundial como a "Nollywood" . Embora pese o facto dessa produção ser efectivamente menos laboriosa que a os restantes países (geralmente são gravados em digital e com menos de 60 minutos).

E claro, a gigante Índia mostra as suas garras com a "Bollywood", que produz mais filmes anualmente que os próprios Estados Unidos.
Lá pelo meio, a Austrália e a Nova Zelândia desaparecem no buraco...


E PORTUGAL NO MEIO DE TUDO ISTO?
Nota-se a droga que suga o país, o subsídio parasita que o Estado coloca à disposição de meia dúzia de artistas. Cria-se um lema que espelha a nossa produção: "Poucos e caros".
E bons, também se pedia...

3 comentários:

close-up disse...

Grande post BRain!

Realmente tocaste vários pontos muitíssimo interessantes. Desde a ascenção curiosa de países aparentemente "fracos" na indústria cinematográfica (como os próprios países africanos) até à relevância não tão grande como se pensa dos estados unidos.

quanto a portugal...bom nem comentários podemos fazer:S
estes filmes sao parados parados...e como bem disseste, com os balurdios que se gastam...bem podiam ser no minimo aceitaveis!

The Joker disse...

Excelente post! Os balúrdios que se gastam cá são para pagar à Soraria Chaves para mostrar as mamas... :)

Abraço

brain-mixer disse...

Close-up, eu quero-te é a comentar mais vezes aqui no estaminé :P

Joker, mas, os filmes com a Soraia Chaves até são baratos... O Alexandre Valente não gosta dos subsídios do Estado como os outros!

Cumprimentos aos dois