04/02/09

"Não se pode achar graça a um filme português"


Este vídeo de repente deixou de fazer qualquer sentido...

Após a estreia simultânea de "A Arte de roubar", "O contrato" e "Second Life", parece já não haver razões para este tipo de críticas... Agora as críticas são outras.
Mamas, orgias, diálogos rascas, cenas de acção de torcer o nariz (aquela explosão de um carro no Contrato é algo surrealmente ridícula), eles não vingaram na moderna moda dos Blockbusters tugas: Por mim começaram a implementar os filmes de série B. Puro e duro.

3 comentários:

Izzi disse...

LOL

Pois, actualmente as críticas são sem dúvida outras...No entanto a nudez sempre fez parte do cinema português - quase diria que um par de mamas é mesmo a imagem de marca da maioria dos filmes portugueses que saem e isto não é de agora.

Peter Gunn disse...

Concordo tanto com o Brain como com a Izzi, realmente cada vez temos mais puros filmes de série B a serem fabricados em Portugal sendo que a imagem de marca desde sempre é a presença das belas das mamocas desde o ínicio dos tempos... quem não se lembra por exemplo (nem vou mais longe) dos belos seios da Ana Zanatti no "Lugar do Morto" de 1984?
Nada como uns peitos famosos para encherem as salas tugas!

brain-mixer disse...

Izzi e Peter, quando se fala de "mamas" no passado, refere-se a planos erotico-artístico. Hoje é porno-sensacionalista...
Abraço a ambos ;)