03/03/09

LOST 6ª temporada



Quem me lê desde há muito percebe que a série LOST é uma das minhas predilecções, com regulares artigos e comentários no blog. É a par de Twin Peaks, a única série BRAIN-TV que posso incluir na lista de "quebra-cabeças".

Nesta 5ª temporada a complexidade atinge o Zénith. As revelações de enigmas, a inclusão de mais mistérios e a excelente manipulação temporal do fenómeno da Ilha dá que pensar onde a série poderá terminar.

A 6ª temporada será a última (segundo os produtores) e dá-me a crer que no final serão atadas todas as pontas soltas que entretanto surgiram. Quem segue a série sabe do que estou a falar e estará a par de toda a confusa informação que vamos obtendo episódio por episódio. (Quem não segue a série, do que é que está à espera??)

O final poderá ser algo tão simples como dúbio: Estará aquele destino já escrito desde o primeiro episódio? Ficaria mais feliz com um final ao jeito de 12 Macacos. Era o fechar de um círculo de uma série tão complexa como humana.

Ou pelo contrário. É a preocupação que me deixa apreensivo:
Por alturas da febre de Matrix, os rumores criados na internet de que haveria uma reviravolta no final de Revolutions não se registou (pelo menos à primeira vista). Numa altura em que se criaram boatos de todas as maneiras: “Toda a história é um sonho e Neo - aliás Mr. Anderson - acorda em frente ao PC”; ou “A realidade onde se insere Zion é também ela uma outra Matrix”; etc, apenas fez com que as previsões de haver um enigma delicioso no final se tornassem tão fortes que acabaram por destruir a mitologia da saga. Assim, no final agarrou-se muito às narrativas clássicas do final feliz e previsível. Pois afinal de contas não fica muito por dizer: Quem ganhou?

É este o verdadeiro enigma de Lost actualmente: Quem vai ganhar?
Os Losties já voltaram ao Continente e já regressaram de novo à Ilha, portanto o objectivo será outro. Saber quem é o verdadeiro vilão da série. Ben ou Widmore (ou ambos).
Entretanto, a conclusão de tal magnífica série fica ao cargo dos génios que foram descosendo este novelo infinito de perguntas.
Espero ser surpreendido.

2 comentários:

Fifeco disse...

Eu confesso que já tentei criar e esquemas e teorias e explicações completamente loucas. Mas não vale a pena. É a série com o argumento mais genial que vi até hoje. Um verdadeiro portento. A forma como joga psicologicamente com os espectadores é primorosa. E depois tem personagens fabulosas. Basta evocar o nome de Benjamin Linus para perceber como se faz boa televisão.

Abraço

brain-mixer disse...

Fifeco, e ideias para terminar esta série. Tens alguma? ;)
Abraço